APP visita domiciliar

De wiki2
Ir para: navegação, pesquisa

Índice

Aplicativo Visita Domiciliar

Como é de conhecimento de todos, estamos apresentando nos encontros regionais e em nossos meios de comunicação, o Aplicativo Visita Domiciliar, o qual tem como objetivo auxiliar o líder em sua principal atividade: a visita domiciliar.

Os aplicativos para celular vem ganhando espaço e destaque na sociedade atual, tanto no contexto social quanto no educativo. Seu formato facilita e reduz o tempo de execução de uma ação e comporta todas as informações de um material impresso, como o Caderno do Líder, permitindo que o conteúdo seja acessado pelos usuários em celulares e tablets.

Para baixar e sair usando basta você clicar aqui.

Para o deslocamento nas comunidades podemos adiantar, para o setor que envia o jovem, 20 reais por comunidade  (máximo 30 comunidades ou 600 reais) a título de adiantamento. Para isto é necessário realizar a solicitação através do botão APOIO.

Material

Apostila App visita

Vídeos

Com você, continuamos a missão pela vida plena das crianças e gestantes. Segue então algumas dicas sobre o aplicativo da Pastoral da Criança:

Como BAIXAR

https://youtu.be/aESQwBH3JRM

Como ATUALIZAR

https://youtu.be/i4jchDeKjNo

Como SINCRONIZAR

https://youtu.be/W2Iz0yH7F04

Como acessar e-CAPACITAR

https://youtu.be/fY4IjRjk-lo

Como PERGUNTAR

https://youtu.be/KuVjQZ4Pr6Q

No link abaixo outros vídeos sobre o APLICATIVO

https://www.youtube.com/channel/UCM_2n8i069UIUq3ioygPw_Q

Perguntas Frequentes

Como será o Apoio Financeiro Mensal (AFM) com o uso do AppVisita?

Parecido com as FABS: é calculado com base no número de gestantes visitadas, crianças visitadas e crianças que compareceram à Celebração da Vida.

No entanto, há algumas diferenças:

  • É 20% maior: em acordo com o Ministério da Saúde, foi possível fazer um repasse maior de recursos financeiros tendo em vista que a qualidade da informação gerada pelo AppVisita é melhor e o sistema permite, entre outros benefícios, alertas sobre falta de insumos nas Unidades Básicas de Saúde e isso leva a uma melhor qualidade de vida para as crianças e gestantes.
  • Além disso, haverá uma economia muito grande em árvores (que virariam papel para Caderno do Líder e FABS), transporte (FABS em branco para as Dioceses, destas para as paróquias e comunidades, retorno das FABS da comunidade para a paróquia, diocese e nacional e, ainda, se houver erro de preenchimento da FABS, todo o percurso de volta à Curitiba e de Curitiba para a comunidade), digitação etc.
  • Serão consideradas mais visitas: para crianças menores de 6 meses e gestantes no último mês de gestação, entrarão no cálculo visitas semanais e não apenas mensais. A gestação e os primeiros meses tem influência muito grande para o resto da vida da criança e há muito o que observar, conversar e partilhar nesta fase da vida: uma visita ao mês é pouco! Nesses casos, quando o líder fizer mais de uma visita no mês para a mesma criança ou gestante haverá o adicional dessa visita no AFM.
  • Na fase de implantação do AFM via AppVisita haverá duplo pagamento: a mesma criança ou gestante que consta na FABS pode ser considerada para cálculo do AFM por constar também no AppVisita. Assim que o sistema de cálculo seja considerado estável pelas bases este pagamento duplo cessará.

Os líderes que quiserem parar de preencher as FABS podem fazer isso a partir de dezembro. Importante: se numa mesma comunidade houver líderes que preferem papel (Caderno do Líder e FABS) e outros que preferem o AppVisita, cada qual deve fazer apenas de um modo.

Por exemplo: 2 líderes preferem usar o AppVisita e um líder prefere o Caderno do Líder e FABS -> na FABS deve constar apenas os dados deste líder tendo em vista que os dados dos outros dois chegarão ao Sistema de Informações sem necessidade de papel. Na Coordenação Nacional haverá a junção destes dados para compor a situação das crianças e gestantes dos 3 líderes desta comunidade.

Para usar o AppVisita precisa de formação/capacitação?

Para usar o AppVisita precisa de formação/capacitação?

Não. Em qualquer encontro ou visita às comunidades, pode ser falado sobre o aplicativo e qualquer pessoa pode baixar e usá-lo.

É obrigatório que todos os líderes usem o aplicativo?

Não. O uso do AppVisita é opcional, porém, é importante destacar que o uso do aplicativo deve ser incentivado pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS e comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita. Além disso, permite que o conteúdo do Guia do Líder, Dicas, Sinais de Atenção e alguns vídeos, sejam acessados pelos líderes em seus celulares e tablets no momento da visita, Celebração da Vida etc, tornando a conversa mais informativa, pois apresenta orientações e conteúdos específicos por faixa etária ou semana de gestação de cada pessoa acompanhada.

Como implantar a Pastoral da Criança em minha comunidade?

Que alegria saber que mais uma comunidade terá o acompanhamento dos líderes da Pastoral da Criança! Se já existe Pastoral da Criança na sua paróquia, você deve inicialmente procurar a coordenação paroquial da Pastoral para seguir as orientações. Caso não tenha, é importante procurar o pároco e informar o seu interesse também, seguir suas orientações É importante: Fazer um levantamento das famílias da comunidade e priorizar as mais pobres para iniciar os contatos; Procurar pessoas que sejam conhecidas na comunidade para ajudar na busca de lideranças (pároco, catequistas, professores, etc); Visitar as famílias ou utilizar os meios de comunicação locais para divulgar as ações da Pastoral da Criança. Vale lembrar que todas as pessoas dispostas a fazer parte da missão da Pastoral podem baixar o Aplicativo Visita Domiciliar e Nutrição para acessar as diversas informações que compartilhamos com as famílias.


Neste momento de pandemia, eu posso acompanhar crianças que pertencem a outro líder?

Sim, os líderes podem acompanhar as crianças de outros líderes que estão precisando de ajuda durante a pandemia, desde que sejam crianças da mesma comunidade. Não é necessário cadastrar novamente a criança, basta encontrá-la nas "Crianças da comunidade", no seu aplicativo.

Quem pode ter acesso ao AppVisita?

Todas as pessoas. As que atuam na Pastoral da Criança (líderes, voluntários de informática, coordenadores, capacitadores, multiplicadores, etc) e também as pessoas que não atuam. As pessoas que não atuam devem pedir acesso ao aplicativo através da opção PARTICULAR ou FAMÍLIA ACOMPANHADA. Essa opção deve ser escolhida no momento do cadastro e a vinculação é automática.

Se eu levar o lanche na casa da criança para celebrar a vida individualmente, posso responder as perguntas da Celebração da Vida no App?

Não. Como pode ser visto no nosso e-Guia, a Celebração da Vida é "quando as pessoas das famílias acompanhadas estão reunidas para celebrar a vida, elas comemoram as conquistas alcançadas por suas gestantes e crianças, conversam sobre suas dificuldades, percebem que não estão sozinhas e que juntas poderão descobrir formas de enfrentar as dificuldades" Durante a pandemia a reunião das muitas famílias não está sendo possível de acontecer. Não se preocupe, tão logo os municípios liberem os encontros presenciais, esse momento tão especial de partilha de informações, lanche e experiências poderá ser realizado novamente. Não será considerado Celebração da Vida a entrega de alimentos para as famílias acompanhadas. Portanto, não devem ser preenchidas as perguntas no AppVisita sobre ela.



Como os líderes da Pastoral devem agir com relação ao término de acompanhamento das crianças que completam 6 anos?

Ao completar 6 anos, o líder, em seu aplicativo, finaliza o acompanhamento da criança, a qual permanecerá em CRIANÇAS QUE ACOMPANHEI. É importante que antes mesmo desse momento, os líderes conversem com a criança e sua família e lhes apresentem opções de atividades para encaminhá-la (catequese, outras atividades da igreja, apoio da Pastoral da Criança, etc). Nada impede que a criança continue comparecendo a Celebração da Vida, e que o líder continue acompanhando seu desenvolvimento, incluindo suas medições de peso e altura no Acompanhamento Nutricional do App, orientando e prestando auxílio sempre que necessário.


Posso acompanhar crianças de um orfanato?

Não, pois não podemos contabilizar estas crianças como visitadas, uma vez que a metodologia da Pastoral é a visita domiciliar e as crianças em questão não tem domicílio familiar. Para ajudar no desenvolvimentos destas crianças até que tenham um domicílio familiar, a pessoa responsável do orfanato pode baixar o APPvisita e se cadastrar como particular, assim ela mesma pode acompanhar as crianças.


O Caderno do Líder impresso vai acabar?

Não. O uso do AppVisita é opcional, porém, é importante destacar que o uso do aplicativo deve ser incentivado pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS e comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita. Além disso, permite que o conteúdo do Guia do Líder, Dicas, Sinais de Atenção e alguns vídeos, sejam acessados pelos líderes em seus celulares e tablets no momento da visita, Celebração da Vida etc, tornando a conversa mais informativa, pois apresenta orientações e conteúdos específicos por faixa etária ou semana de gestação de cada pessoa acompanhada.

Se a gestante deu à luz antes dos nove meses (devido à eclâmpsia ou qualquer outro motivo), como o líder deve anotar essa informação no AppVisita?

O líder deve finalizar o acompanhamento da gestante (ela permanecerá em minhas gestantes acompanhadas) e cadastrar a criança. Depois, o líder poderá, então, incluir a particularidade da criança, (nesse caso: a criança nasceu prematura), no botão "COMENTÁRIO", localizado dentro do menu da criança.

Como preencher os dados da altura uterina no AppVisita e Caderno do Líder?

Se o médico preencheu o dado da altura uterina só na parte interna da Caderneta da Gestante, responder SIM à pergunta: A gestante teve sua altura uterina medida na consulta de pré-natal. Se o gráfico não estiver preenchido (ou não houver gráfico na caderneta), responder com "Não sei" no App ou com traços no caderno nas respostas às perguntas: Está com a curva uterina abaixo do percentil 10; Está com a curva uterina acima do percentil 90. No caso de existir o gráfico e o líder souber preencher a curva, ele pode fazê-lo e responder a estas perguntas. Em locais onde o serviço de saúde não permite que esse preenchimento seja feito, conversar com os profissionais de saúde para explicar que o líder só pode ajudar na orientação à gestante se a curva está preenchida (ver conteúdo complementar da 5a etapa do App ou pag. 75 do Guia).

O indicador de quatro a seis anos trata de pré-escola. Em muitas comunidades existe a opção da pré-escola comunitária, chamada por muitos de “fundo de quintal” por funcionar em condições precárias. Nesse caso, como responder ao indicador "A criança frequenta a pré-escola?

A resposta a essa pergunta deve ser SIM. É importante que o líder converse com a família sobre a pré-escola, usando como base o conteúdo complementar da 11a etapa ou as páginas 278 e 279 do Guia do Líder, para que todos possam se unir na busca de um bom atendimento para todas as crianças que dele necessitarem. Todas as crianças têm o direito de frequentar uma pré-escola municipal ou conveniada com o município. As pré-escolas, públicas ou privadas, são ou deverão ser avaliadas pelos órgãos do governo para que sejam seguidas orientações/normas a fim de oferecerem instalações adequadas e uma boa qualidade de atendimento às crianças.


O que é o vínculo automático?

O vínculo automático foi criado para o líder utilizar o aplicativo já de imediato, ou seja, cadastrar suas crianças, gestantes e fazer suas visitas, mesmo antes do seu pedido de acesso ter sido vinculado ao banco de dados da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança. Isso agiliza o início da sua ação na comunidade. Porém, ele ainda precisará ser vinculado pela Coordenação Nacional para ter acesso às informações (da comunidade, resumo do mês), e para quando sincronizar, suas informações de visitas e cadastros, cheguem até o banco de dados.

Como é o processo do vínculo automático?

Assim que o líder solicitar o acesso para o AppVisita, ele já será liberado, permitindo ao líder cadastrar crianças, gestantes e realizar visitas. Este pedido de acesso ficará em uma lista no sistema da Coordenação Nacional, para que posteriormente, seus dados pessoais sejam vinculados ao seu cadastro no aplicativo. Após feita esta vinculação, o usuário precisa clicar em SINCRONIZAR e só assim, as informações serão salvas, e o RESUMO DO MÊS liberado. Com o vínculo concluído, todas informações cadastradas pelo líder irão para a Coordenação Nacional sempre quando o líder sincronizar.


Como os coordenadores de ramo podem verificar os lançamentos que os líderes fazem pelo AppVisita, para visualizar erros ou amplitudes como faziam com as FABS?

Através do mesmo relatório de FABS digitadas no site do sistema de informação (nsi.pastoraldacrianca.org.br). Devem abrir a FABS do mês que gostariam de analisar e clicar em Erro de FABS.


Como faço para ver os dados dos acompanhamentos do AppVisita?

Basta entrar no NSI (nsi.pastoraldacrianca.org.br) e clicar em Menu de Acesso, Aplicativo Visita Domiciliar e Relatório do Aplicativo Visita Domiciliar. Para relatórios por município clique em Menu de Acesso, Relatório de Indicadores e escolha o período e a abrangência. O relatório (71) Relatório do Aplicativo Visita Domiciliar (AppVisita) agrupa alguns indicadores.

É possível trocar uma criança de líder?

Sim. O novo líder deve procurar a criança na opção CRIANÇAS DA COMUNIDADE e realizar uma NOVA VISITA. Automaticamente após a visita a criança será migrada para ele. Isso também vale para as gestantes.


O que fazer quando a pessoa relata que é voluntária de informática, mas na consulta a pessoa não tem a capacitação P28?

Inclui-la no perfil de voluntário de informática e entrar em contato com o coordenador da diocese para enviar as fichas da capacitação.

Na terceira etapa, quando a pessoa que está sendo capacitada cadastra uma gestante, os dados da gestante já podem ir para a FABS daquele mês? Ou só irão quando terminar a primeira parte da capacitação?

Os dados do novo líder já poderão constar na FABS do mês em que ele atuou, ou seja, a FABS que será preenchida no início do mês seguinte. Caso o novo líder more numa comunidade que já tem a Pastoral funcionando, ele deve ser convidado para a Reunião para Reflexão e Avaliação. Nesta, ao preencher a FABS, a coordenadora comunitária colocará o nome do novo líder e os dados das gestantes e/ou crianças por ele acompanhadas. Quando a comunidade é nova, o capacitador ou o coordenador da paróquia preencherá a FABS da nova comunidade. O uso do aplicativo pelo novo líder deve ser incentivado, pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS, comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita.

Se uma mãe ou responsável quiser usar o aplicativo, ela pode?

Sim, qualquer pessoa é convidada a utilizar o AppVisita! Para baixá-lo, deve-se entrar na "lojinha" de aplicativos (Play Store) e digitar Visita Domiciliar. No cadastro, escolher a opção PARTICULAR.


Tenho duas gestantes que ainda não visitei, posso realizar a visita e sincronizar de novo?

Sim. É possível sincronizar o aplicativo após cada visita realizada. Os dados das visitas serão correspondentes às datas em que aconteceram.

Sugestão de livros sobre a importância do "brincar" na educação infantil?

Orientamos baixar o aplicativo e acessar a e-Capacitação em Brinquedos e Brincadeiras, onde encontrarão informações sobre a importância e o direito de brincar e várias sugestões de atividades com as crianças.



Uma criança que está com a caderneta de vacinação devidamente de acordo com o serviço de saúde, ou seja, com todas as vacinas tomadas, e não toma as vacinas nas campanhas. Essa criança está com as vacinas em dia?

Sim, está em dia. Mas é importante que todas as crianças, mesmo as vacinadas, tomem a dose da campanha porque isso aumenta a imunização de todas as crianças na comunidade.

Quando o líder encontra na primeira visita, uma mãe que acabou de ganhar um bebê, mas enquanto gestante ela não era cadastrada, colocamos o que na pergunta 27 - "Crianças que nasceram no mês" na da 4ª parte do Caderno?

A pergunta 24 se refere às crianças que nasceram no mês e foram cadastradas e acompanhadas pelo líder, independente de se a mãe foi acompanhada na gestação ou não. Então, nesta situação o líder vai cadastrar o bebê numa folha da 1ª parte do caderno e responder a todas as perguntas relativas à criança. Antes da Reunião para Reflexão e Avaliação vai passar os dados dela para a 4ª parte para serem incluídos na FABS. O uso do aplicativo deve ser incentivado, pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS, comporta todas as informações do Caderno do Líder, também pode ser preenchido durante a visita e calcula o resumo do mês (4ª parte do Caderno) automaticamente.

Como será a Reunião para Reflexão e Avaliação quando alguns líderes utilizarem o AppVisita?

Durante a Reunião para Reflexão e Avaliação, os líderes que não usam o aplicativo, devem preencher a 4ª parte do caderno e a FABS, apenas com as informações de suas crianças e gestantes acompanhadas. Os líderes que utilizam o aplicativo não precisarão se preocupar em preencher a 4ª parte do Caderno do Líder, uma vez que o App Visita Domiciliar torna esse processo automático. Depois, todos estudam a situação das famílias que acompanham, discutem os resultados do mês, celebram as conquistas e buscam soluções para as dificuldades e pontos de atenção encontrados. Durante a pandemia, enquanto os encontros presenciais estão suspensos, é possível que as equipes se organizem para realizar reuniões online.


Quem faz as visitas pelo aplicativo tem que enviar FABS (papel)?

Não, quem estiver fazendo as visitas pelo aplicativo, não precisa enviar a FABS de papel, mas precisa sincronizar o aplicativo (no menu principal). Quem continuar usando o caderno verde, continua enviando a FABS (papel). Importante: se em uma mesma comunidade houver líderes que usam o Caderno do Líder e a FABS e outros, o AppVisita, cada qual deve fazer de acordo com a situação: Por exemplo: 2 líderes usam o AppVisita e um líder o Caderno do Líder e FABS -> na FABS deve constar apenas os dados deste líder tendo em vista que os dados dos outros dois chegarão ao Sistema de Informações pelo aplicativo. Na Coordenação Nacional haverá a junção destes dados para compor a situação das crianças e gestantes dos 3 líderes desta comunidade.


Qual é a versão do Android que posso baixar o app visita domiciliar?

Orientamos versões acima da 5.0.

Não estou conseguindo baixar o material das e-capacitações, como devo proceder?

Você deve fazer uma limpeza de dados no aplicativo. Siga os seguintes passos: Sincronize o App; Acesse no seu celular: CONFIGURAÇÕES APLICATIVOS Encontre o App Visita Domiciliar e Nutrição da Pastoral da Criança

Clique em ARMAZENAMENTO

LIMPAR DADOS - Após isso, sincronize o aplicativo novamente para baixar os materiais.


É obrigatório que todos os líderes usem o aplicativo?

Não. O uso do AppVisita é opcional, porém, é importante destacar que o uso do aplicativo deve ser incentivado, pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS e comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita. Além disso, permite que o conteúdo do Guia do Líder, Dicas, Sinais de Atenção e alguns vídeos sejam acessados pelos líderes em seus celulares e tablets no momento da visita, Celebração da Vida etc, tornando a conversa mais informativa, pois apresenta orientações e conteúdos específicos por faixa etária ou semana de gestação de cada pessoa acompanhada.


Como orientar se os voluntários se queixam de não ter memória suficiente para usar o App?

É possível fazer pedido de cartão de memória para a coordenação nacional, ou a coordenação da paróquia pode adquirir e incluir o valor na prestação de contas do mês.

Quais são as funções do aplicativo que precisam de internet?

As funções que precisam de internet no AppVisita são: o resumo do mês, para baixar os materiais das e-Capacitações e para sincronizar.

O GPS funciona sem internet?

Para o GPS não é necessário internet, somente a função LOCAL do celular deve estar ativada.


Por que preciso sincronizar os dados?

Ao sincronizar você terá uma cópia dos dados de suas crianças e gestantes guardadas no banco de dados da Pastoral da Criança. Em caso de troca de celular, você terá todas as informações no novo aparelho após a instalação do aplicativo. Os dados que você coletou também ajudarão a Coordenação Nacional a refletir sobre o acompanhamento das crianças.

Quando preciso sincronizar o App?

O ideal é sincronizar ao fim do dia que realizou a(s) visita(s) ou ao final do mês. A data da sincronização não precisa ser a mesma das atividades. Exemplo: realizei visitas no 1º e no 3º sábado do mês de março e a celebração da vida aconteceu no último sábado de março; ao sincronizar no dia 1º de abril, tanto as visitas quanto a celebração da vida aparecerão no mês de março.


Por que não tem as perguntas da Celebração da Vida para fazer durante a visita?

Porque elas não fazem parte da visita. O botão da Celebração da Vida está no MENU do Aplicativo para ser usado neste momento. Ao clicar nele, aparecerão os meses (para que você selecione o mês em questão para responder as perguntas ou visualizar os meses anteriores) e as perguntas referentes à Celebração da Vida: "A criança cadastrada compareceu na Celebração da Vida?" e "A mãe, pai ou responsável ajudou na Celebração da Vida (oração, preparação do lanche, brincadeiras, etc)?". Os nomes de cada criança aparecerão ali para que você marque 1 ou 2 se a resposta às perguntas forem SIM. Após responder, você já pode sincronizar.


Quem tem que inserir o peso e altura da criança no App Visita durante a Celebração da Vida?

Pode ser o líder, no seu aparelho, ou o voluntário da informática.

Quando a Celebração da Vida acontece em uma data fora do mês, como registrar no AppVisita?

A celebração da vida normalmente acontece no mês de referência. Mas, caso tenha que mudar a data por motivos como chuva, enchentes, etc, é necessário registrar essa celebração da vida no mês de referência. Para fazer isso, clique no botão Celebração da Vida, clique no mês de referência e preencha os números (1) e (2) conforme o ocorrido. Por exemplo: a celebração ia acontecer no último sábado do mês de março, mas choveu muito e mudou para o primeiro sábado de abril. Após a celebração, adicione os dados dessa celebração no mês de março, clique em salvar e sincronize os dados.


Como registrar no AppVisita ou no Caderno do Líder os Indicadores de Oportunidades e Conquistas (IOCs) quando o bebê/criança está dormindo durante a visita?

No caso da criança estar dormindo, fica difícil observar como está a interação da criança com a família e também se ela apresenta ou não conquistas no seu desenvolvimento. Sendo assim, a resposta nesse caso deverá ser (?).

É possível trocar a criança de comunidade no AppVisita, e como isso é feito?

Não. Somente é possível visualizar no aplicativo as crianças da própria comunidade. O usuário não tem acesso a crianças de outras comunidades por questão de proteção aos dados pessoais das crianças. É importante que em toda comunidade exista ao menos um líder que utilize o AppVisita, para que seja possível cadastrar as crianças da comunidade.


Pode ser trocado de coordenador paroquial sem a aprovação de líderes ou coordenadores de comunidade?

O pároco pode fazer essa troca nas situações em que não é possível fazer a eleição para indicação da lista tríplice, mas é importante sempre reforçar que, de acordo com o artigo 34 do Regimento Interno da Pastoral da Criança, o coordenador é indicado em lista tríplice pelos coordenadores comunitários e o pároco escolhe e ratifica um dos nomes.


De quanto em quanto tempo é realizado o Acompanhamento Nutricional?

É realizado a cada 3 meses. A Celebração da Vida continua acontecendo todo mês, no entanto, a Celebração da Vida com acompanhamento nutricional é realizada apenas de 3 em 3 meses. É importante lembrar que os dados de peso e medida realizados pelo posto de saúde podem ser incluídos no AppVisita na parte do acompanhamento nutricional para que as mães recebam as orientações nutricionais e alimentares.

Onde encontrar a listagem completa com os dados de peso, medida e estado nutricional das crianças?

No sistema de informação: nsi.pastoraldacrianca.org.br Entrar como VISITANTE BRASIL, ir em:

  • MENU DE ACESSO
  • ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL
  • RELATÓRIO ANALÍTICO.
Pode ser anotado no Caderno do Líder/AppVisita o peso de uma criança que não foi no Dia da Celebração da Vida, mas foi pesada no posto de saúde e teve seu peso anotado no Cartão da Criança?

A Pastoral da Criança incentiva um trabalho em parceria com o serviço de saúde, portanto, se a criança foi pesada naquele mês, seu peso pode ser colocado no Caderno do Líder/AppVisita e respondidos os outros indicadores relativos ao peso. Mas é preciso que o líder estimule sempre a família a comparecer ao Dia da Celebração da Vida. Esse é um dia de alegria, de confraternização, no qual ela pode se encontrar com as outras famílias, compartilhar os progressos e discutir as dificuldades em relação à situação de vida das crianças da comunidade, saborear um gostoso lanche e participar das brincadeiras com seus filhos e as outras crianças.


Se o voluntário da informática colocou um peso ou medida incorretamente, ele pode editar esta medição?

Sim, basta ele ir na medição da criança, abrir a medição, preencher com a medida certa e clicar em SALVAR.


Quando a comunidade é nova, e o nome dela ainda não aparece no AppVisita, é necessário enviar a FABS primeiro para que a comunidade seja cadastrada?

Não. Enviar o nome da Diocese, Paróquia e Comunidade através do correi, caso tenha dificuldade poderá enviar os dados para o Whatsapp da Pastoral da Criança (41) 98863-0411 solicitando o cadastro da nova comunidade.


O que fazer quando uma criança acompanhada morreu, ou a família não quer mais ser acompanhada?

Ir no cadastro da criança e escolher a opção FINALIZAR ACOMPANHAMENTO, escolher o motivo da finalização e, assim, essa criança ficará no menu CRIANÇAS QUE ACOMPANHEI.

Como finalizar o acompanhamento de uma gestante no AppVisita?

Ir no menu da gestante, escolher a opção FINALIZAR ACOMPANHAMENTO. A gestante ficará no menu GESTANTES QUE ACOMPANHEI.

É possível APAGAR um cadastro de uma criança ou gestante no AppVisita Domiciliar?

Não, o que se deve fazer é clicar no botão FINALIZAR ACOMPANHAMENTO. A criança ou gestante não serão mais acompanhadas, porém permanecerão no banco de dados da Pastoral.

Como visualizar o RESUMO DO MÊS no AppVisita?

Ir em MENU, clicar em RESUMO DO MÊS. Você encontrará os meses listados e poderá escolher o mês que deseja verificar. Todas as somas do resumo do mês já estão feitas. Obs: o resumo do mês só pode ser visualizado online.


Como os coordenadores de Estado, Diocese e Paróquia podem visualizar os dados das visitas e relatórios de sua área?

Os dados dos relatórios de crianças, gestantes, acompanhamento nutricional, ou de capacitações, estão disponíveis ao clicar em e-Capacitações no Menu principal e e-Sistema.

Até que idade uma criança é acompanhada no AppVisita Domiciliar?

Até os 6 anos de idade.

Tenho muitos líderes na comunidade e uma FABS não comporta todos. O que fazer?

O melhor é dividir a comunidade em duas, porque: Com muitos líderes a Reunião para Reflexão e Avaliação fica muito longa e não há como todos apresentarem todas as necessidades sentidas das famílias acompanhadas; O dia da Celebração da Vida poderá ficar com muitas crianças e famílias e, assim, a atenção a todos fica prejudicada; Haverá dificuldade para somar os dados de cada folha e, na eventualidade das duas folhas que compõem a comunidade se desprenderem, será digitada a primeira FABS e, ao ser digitada a segunda, a primeira irá para o limbo, pois não existe FABS duplicada no sistema. O uso do aplicativo deve ser incentivado pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS e comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita. É preciso solicitar a inclusão da nova comunidade no aplicativo através do correio do aplicativo ou Whatsapp da Pastoral (41) 9 8863-0411.

Sou coordenadora de paroquia/área/setor/núcleo/estado e não sou líder. Tenho que baixar o aplicativo?

Sim, é essencial que todos baixem o aplicativo. Orientamos que todos os níveis de coordenação visitem ao menos uma família por mês com o Aplicativo Visita Domiciliar. Além disso, você, coordenador, poderá auxiliar os líderes nas dúvidas sobre o aplicativo. E será uma forma de comunicação onde vocês irão receber notificações. Por exemplo: se tem colher medida na paróquia ou não, se tem sulfato ferroso no posto de saúde ou não, entre outras notificações.

Se uma mãe ou responsável quiser usar o aplicativo, ela pode?

Sim, pode. Para baixar, no seu celular, ela entra na Play Store (lojinha), digita Visita Domiciliar. Depois, na hora do cadastro, ela vai escolher a opção família acompanhada como perfil.


Para que serve o botão CALCULADORA no Acompanhamento nutricional?

A CALCULADORA pode ser utilizada pelos líderes que usam balanças digitais que não possuem TARA. Calcula o peso da criança a partir do peso da mãe + criança, subtraindo o peso da mãe. Para acessá-la, entre no cadastro da criança - clique em Acompanhamento Nutricional - clique no sinal de + (canto inferior direito) - clique no desenho da calculadora - coloque o peso do adulto - coloque o peso do adulto com a da criança no colo e clique em SALVAR - Automaticamente o peso da criança aparece no campo do peso da criança.

Como alterar o nome do Ramo/Paróquia no aplicativo?

É necessário solicitar essa alteração pelo correio do aplicativo ou pelo Whatsapp da Pastoral (41) 9 8863-0411, passando a Diocese e o nome do Ramo/Paróquia que deverá ser corrigido.

Quando a comunidade foi cadastrada duas vezes, mas com nomes diferentes, é possível fazer a junção?

Sim. Para solicitar a junção é necessário enviar pelo correio do Aplicativo ou para o Whatsapp da Pastoral (41) 9 8863-0411 os seguintes dados: Diocese, Paróquia, Comunidade e o nome da comunidade que permanecerá.

posso acessar o App Visita Domiciliar pelo computador?

Não. A versão atual do aplicativo está disponível apenas para dispositivos móveis (celulares e tablets).


O que muda com a junção dos aplicativos Appnutri e visita domiciliar?

- Durante a capacitação do Acompanhamento Nutricional, o voluntário de informática tem a opção de baixar o AppVisita e, no menu da criança, opção acompanhamento nutricional, pode incluir o peso e a medida.

- Também, no item Acompanhamento Nutricional do AppVisita, durante a Celebração da Vida, o líder tem a opção de colocar o peso e a medida da criança realizado na Unidade de Saúde, além de poder compartilhar com os pais a cartela e o gráfico gerado, via whatssapp, e-mail ou bluetooth.

Lembramos que as cartelas impressas devem ser entregues somente na celebração da vida, pela Equipe Paroquial. O peso e altura incluídos da unidade de saúde pelos líderes, podem ser compartilhados pelo celular e não é necessário solicitar as cartelas de orientação para os líderes.

Apostila Acompanhamento nutricional

obs.: não precisa imprimir a apostila somente as páginas 38 a 41.

Quais marcas de tablets ou celulares NÃO são compatíveis com o AppVisita?

Atualmente, o aplicativo não funciona em aparelhos com sistema IOS (Apple) e Windows e não é possível garantir o funcionamento em versões de Android inferiores a 5.0. Tabletes da marca Multilaser também estão apresentando dificuldades para rodar, mesmo com o Android recente.

É possível fazer o cadastro do Aplicativo pelo yahoo? Ou apenas gmail e hotmail?

É necessário ter uma conta Google. Esta conta é criada para usar o android do celular.


O que é o botão “Adicionar Criança” no relatório analítico no nsi?

Este botão está dentro do Menu de Acesso - acompanhamento nutricional - relatório analítico. Ele facilita para os líderes que querem cadastrar as crianças do AppVisita no computador, mas lembre-se que é apenas para fazer o cadastro da criança e não a visita domiciliar.


Uma criança que não foi visitada, mas foi à Celebração da Vida, deve ser pesada/medida ou não?

Sim, essa criança deve ser pesada e medida, pois o comparecimento da criança deve ser aproveitado e valorizado. Mas a visita é muito importante, pois é nela que o líder pode ver como está a situação de vida da criança na família, conversar com calma. Sendo assim, o líder deve procurar visitar logo que puder essa criança.


Mais de uma líder pode usar o mesmo celular ou tablet?

Não. O aplicativo deve ser usado somente por um usuário. Não orientamos utilizar o mesmo aparelho para mais de um líder.

Por que as perguntas sobre amamentação exclusiva foram alteradas?

Muitas mães oferecem água, chás ou sucos aos bebês acreditando que estão fazendo aleitamento materno exclusivo. Mas até essa idade, os bebês não precisam receber nada além do leite materno, nem mesmo água. Com a pergunta O que foi dado para o bebê desde ontem? queremos observar tudo o que foi oferecido ao bebê e identificar ofertas inadequadas de água, líquidos ou alimentos, para, assim, poder reforçar esta orientação junto às famílias acompanhadas. Ao perguntarmos "O bebê está em aleitamento materno exclusivo?” podemos induzir a mãe a responder sim, sem muitas vezes ela saber o que é amamentação exclusiva, obtendo uma resposta equivocada. Saiba mais - https://www.pastoraldacrianca.org.br/amamentacao


Como juntar crianças duplicadas no aplicativo?

Quando existem crianças duplicadas, é preciso enviar uma mensagem via Whatsapp 41 98863-0411 com o nome completo da criança, diocese, paróquia e comunidade para MESCLAR A CRIANÇA (assim juntamos os cadastros e não perdemos os dados).

O que fazer quando a criança que acompanho completou 6 anos de idade?

Devemos FINALIZAR O ACOMPANHAMENTO e escolher a opção: COMPLETOU 6 ANOS. A partir daí a criança ficará em CRIANÇAS QUE ACOMPANHEI.


O líder não visitou a família e a criança também não foi no dia da Celebração da Vida. O líder sabe que as vacinas estão em dia, pois não está na época de ser tomada nenhuma vacina pela criança em questão, ela pode colocar no Caderno, como vacina em dia?

Sim, porque naquele mês a criança continua cadastrada na Pastoral e será contada na 4ª parte do Caderno como "criança cadastrada" e também na pergunta 18, como "crianças com as vacinas completas para a idade. Existem idades em que não há vacina a ser tomada pelas crianças. São elas:

  • 1 mês de vida
  • 7, 8 10, 11, 13,14 meses de vida
  • de 1 ano e 4 meses até 3 anos e 11 meses
  • de 4 anos e um mês até 4 anos e 11 meses
  • de 5 anos e 1 mês até a adolescência

É preciso que, na Reunião para Reflexão e avaliação, o coordenador da comunidade ou do ramo veja o porquê da criança não ter sido visitada e reforce com o líder a importância da Visita Domiciliar e da participação da criança, mãe, pai ou familiar no dia da Celebração da Vida.

O AppVisita nesta situação identifica que a vacinação da criança está em dia, pois no mês que tinha vacina para tomar, o líder respondeu que estava em dia. Nenhum dado será somado na 4ª parte do caderno - Resumo do mês - sobre esse item.

No preenchimento da 4ª parte do Caderno, um líder coloca na pergunta 13 que acompanhou 12 crianças nos IOCs. Responde, na pergunta 14, que tem três em situação de risco. Na pergunta 15 precisa colocar que todas as outras nove crianças alcançaram todos os indicadores para fechar o total de 12 crianças acompanhadas da pergunta 13?

Não, o total de crianças nas perguntas 13 e 15 não têm que ser igual. Crianças que apresentam S e N na pergunta 13, recebem N (Não) na resposta às perguntas 14 e 15 e, portanto, não entram na soma dessas perguntas na 4ª parte do Caderno. No AppVisita, basta o líder preencher com o Sim ou Não da situação de cada indicador e o aplicativo identifica quantas crianças estão em situação favorável ao seu desenvolvimento.

No caso do líder não ter conseguido visitar uma criança, ela pode ser observada nos IOCs no dia da Celebração da Vida?

A observação e a conversa sobre os IOCs deve ser feita na visita domiciliar e, só em casos excepcionais, no Dia da Celebração da Vida ou num momento que o líder tenha oportunidade de observar algum indicador.


No caso dos Indicadores de Oportunidades e Conquistas (IOCs) que cobrem vários meses ou anos, (por exemplo, a criança de 2 a 3 anos e 11 meses), se o indicador já foi alcançado, é preciso que continue sendo observado todos os meses na visita domiciliar?

Sim, as situações são dinâmicas, ou seja, podem mudar de um dia para o outro. Assim, a observação mensal, acompanhada de incentivo e elogios, é importante para criar e manter as situações favoráveis para o desenvolvimento das crianças. O uso do aplicativo deve ser incentivado, pois facilita ao líder já que todas as perguntas que devem ser feitas por ele aparecerão na hora da visita.

O líder pode fazer a visita com o caderno e depois passar para o aplicativo?

Não. As perguntas do aplicativo são diferentes das perguntas do caderno do líder. No aplicativo o número de perguntas é direcionado para cada faixa etária e leva em consideração as perguntas anteriores. O aplicativo foi criado para facilitar e ajudar os líderes na missão. No app existem vídeos e fotos que ajudam as mães e líderes no entendimento do indicador. Cada pergunta já traz também as mensagens e páginas do Guia do Líder para orientar melhor na visita.

Como faço para incluir o endereço da criança no cadastro?

O AppVisita possui a opção de adicionar a localização da casa onde a criança mora. Ir em:

  • Cadastro da Criança
  • Editar (canto superior direito)
  • Local da moradia (GPS)
  • +Incluir
  • Salvar.

Não esqueça de salvar para que o endereço seja incluído com sucesso. Com isso, é possível clicar no mapa do Google, no terceiro botão do local de moradia para visualizar a localização.

Existe no App uma forma de os coordenadores de Ramo terem acesso às informações de seus líderes, como por exemplo crianças acompanhadas?

No Menu do App, é possível clicar em Crianças e Crianças da Comunidade. No sistema de informação (nsi.pastoraldacrianca.org.br), o coordenador também tem acesso às informações das crianças acompanhadas pelo relatório de FABS digitadas.


Quando tem estoque alto de FABS 2007 (preta) e 2000 (verde) no Ramo, o que fazer?

Precisamos trabalhar somente com as FABS mais atuais - FABS Azul. Cada FABS custa menos de R$0,04 centavos. Sugerimos vender as FABS antigas (recibo de promoção - doação se for no Setor; se for no Ramo entra como receita na prestação de contas, não tem recibo de doação e promoção ). O uso do aplicativo também deve ser incentivado, pois facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS, comporta todas as informações do Caderno do Líder e pode ser preenchido durante a visita.


Comunidade com líderes que foram atualizados e líderes que ainda não foram atualizados: como enviar a FABS?

Enviar a FABS azul. Os líderes que não foram atualizados terão que passar por uma oficina de formação contínua integrada - OFCI - para aprender a responder as perguntas que foram substituídas. O uso do aplicativo deve ser incentivado, pois está sempre atualizado, facilita e reduz o tempo do preenchimento das FABS, comporta todas as informações do Caderno do Líder e também pode ser preenchido durante a visita.


É possível editar o nome no aplicativo? Ex: O nome da líder é Cristiane e está como Cristiano, como editar?

Não é possível editar. É preciso enviar uma mensagem pelo correio com o nome correto, e-mail, diocese, paróquia e comunidade para que possamos arrumar no sistema.

Menor de idade pode baixar o aplicativo?

Sim, mas é necessário que o menor tenha um responsável.

Tem limite de Fabs que cada coordenador pode enviar por WhatsApp?

Não tem limites, porém ressaltamos que o contato com as famílias deverá ser registrado, de preferência, no App Visita Domiciliar. Caso as informações das visitas não possam ser enviadas pelo aplicativo, podem ser registradas no Caderno do Líder e encaminhadas pelas FABs. Esta forma de envio da FABS por foto está liberada somente quando é enviada por alguém direto da comunidade. Caso não seja possível alguém da comunidade enviar a foto, a FABS deve ser enviada como de costume, via correio. As fotos devem conter as folhas preenchidas, frente e verso, e ser encaminhadas pelo WhatsApp (41) 98863-0411. Caso o coordenador comunitário não consiga realizar o envio, pode buscar ajuda com um voluntário/comunicador comunitário: uma pessoa da comunidade que possa ser esse contato entre a comunidade e a Coordenação Nacional.


Tem limite de quantas crianças ou gestantes uma líder pode cadastrar no aplicativo visita domiciliar?

O líder deve acompanhar gestantes e até 15 crianças de famílias próximas à sua casa, realizando três atividades:

  • Visita Domiciliar.
  • Dia da Celebração da Vida.
  • Reunião para Reflexão e Avaliação.

Com isso, milhares de líderes da Pastoral da Criança, agindo como bons pastores, que amam e cuidam de suas ovelhas, estão continuando o projeto de Jesus aqui na Terra.

Cadastro em comunidade ou paróquia errada, o que fazer?

Enviar através do correio do aplicativo visita domiciliar os dados corretos: nome completo, e-mail, comunidade, paróquia e diocese. Quando não for possível via correio no aplicativo, solicite no WhatsApp da Pastoral (41) 98863-0411.

A Pastoral da Criança tem fundos para patrocinar telefones para as comunidades?

É importante orientar que os líderes não precisam ter celular, mas podem contar com alguém da comunidade para auxiliá-los a lançar os dados no aplicativo. Além disso, é possível a paróquia fazer um pedido de doação para conseguir celulares em bom estado com Android 6.0 ou superior, para uso dos líderes da paróquia. Lembramos ainda que aqueles que não têm acesso ao aplicativo podem continuar encaminhando os dados pela FABS de papel.

Perguntas Covid 19

A vacinação do COVID-19 está contraindicada para menores de 18 anos porque estes não pegam o vírus? E, se pegam, não transmitem?

Não. Segundo as últimas recomendações do Ministério da Saúde, pelo fato de a vacina contra o COVID-19 ainda não ter sido testada em menores de 18 anos, ela permanece contraindicada para essa população. Apenas em outros países começaram a ser feitos testes. O e-Coronavírus está em constante atualização. Conforme as últimas recomendações do Ministério da Saúde, orientamos que os líderes consultem o aplicativo frequentemente e incentivem o seu uso pelas famílias acompanhadas.

Quando as gestantes ou as mães que amamentam podem tomar a vacina contra COVID19?

De acordo com o último protocolo do Ministério da Saúde (fevereiro 2021), gestantes, mulheres que amamentam e mulheres no pós parto que pertencem a um dos grupos prioritários (enfermeiras que trabalham na linha de frente do COVID, mulheres indígenas que vivem em terra indígena, etc), poderão realizar a vacinação após avaliação cautelosa dos riscos e benefícios e com decisão compartilhada, entre a mulher e seu médico prescritor.

Porque o suplemento de ferro é importante?

A suplementação de ferro é importante durante as fases da vida em que o organismo está em intenso desenvolvimento: na gestação, infância e adolescência. As reservas de ferro da criança que recebe leite materno de forma exclusiva, nos seis primeiros meses de idade, atendem às suas necessidades, não necessitando de qualquer forma de complementação. Já, a partir dos 6 meses, é necessário que seja iniciada a alimentação complementar do bebê, e junto com ela, seja ofertado o suplemento de ferro até que ele complete 2 anos de idade, pois só a ingestão de alimentos e leite materno não são suficientes. As gestantes devem receber suplemento de ferro desde o início do pré-natal, independente da idade gestacional, e tomar até o 3o mês após o parto, mesmo que não esteja anêmica. Essas são as recomendações do Ministério da saúde.


Eu posso utilizar o recurso da Pastoral para ajudar as famílias com alimento, fraldas e outros?

A Pastoral da Criança é uma rede de solidariedade que tem sua força no voluntariado, que atuam acompanhando mensalmente as famílias das comunidades em todo o Brasil, estabelecendo uma relação de confiança. Sabemos que a nossa missão é orientar e fortalecer as famílias no cuidado com a criança, pois é isso que sabemos fazer. Conforme diz Paulo na Carta aos Coríntios "Mas Deus formou-nos com muitas partes e cada uma com a sua função própria. E que coisa estranha seria um corpo humano com uma só parte! Mas não, são muitas as partes, mas um só o corpo. (1Cor, 12, 18-20). E neste momento difícil não é hora de abandonar nossas famílias. Devemos continuar nossa missão como Cristão e nos colocarmos a disposição das Redes de Solidariedade que já existem, no sentido de indicar quais famílias estão precisando de ajuda, articulando na mobilização, além de indicar o aplicativo visita domiciliar como ferramenta de contribuição. A Pastoral da Criança conhece a realidade das famílias que acompanha e pode ajudar a fazer esta distribuição, com igualdade, fazendo chegar a todas as famílias que precisam receber. É até uma ótima oportunidade de passar orientações importantes sobre a pandemia, como as disponíveis no e-Combate ao Coronavírus.

Mas é importante reforçar, que passado esse momento, voltaremos à nossa principal missão, que é fazer chegar as informações e orientações às famílias, deixando essa parte das doações para quem realmente sabe fazer, como os Vicentinos, a Cáritas, a Ação Social da paróquia, a Associação de Moradores dos bairros, os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), entre outros. Nosso papel é, portanto, abrir caminhos.

Jovens capacitados

Lista dos jovens capacitados clique aqui

Estrutura das mensagens enviadas via AppVisita

Documento com a estrutura das mensagens, clique aqui.