Relatório Anual 2018

De wiki2
Revisão de 16h32min de 4 de maio de 2018 por Daniap (Discussão | contribs) (Formação de coordenadores)

Ir para: navegação, pesquisa

Apresentação

A Pastoral da Criança, Organismo de Ação Social da CNBB, foi fundada em 1983 e alicerça sua atuação na organização da comunidade e na capacitação de líderes voluntários que ali vivem e assumem a tarefa de orientar e acompanhar as famílias vizinhas em ações básicas de saúde, educação, nutrição e cidadania tendo como objetivo o "desenvolvimento integral das crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político" (Artigo 2º do Estatuto).

A Pastoral da Criança trabalha junto às famílias pobres e extremamente pobres, por meio da atuação voluntária de líderes comunitários capacitados e de um conjunto de práticas educativas simples, baratas e facilmente replicáveis, focadas na capacitação referente aos cuidados com a gestante e com a criança. No Brasil, atualmente, há mais de 164 mil voluntários atuando em todos os estados brasileiros, sendo que 89 mil são líderes. O fruto deste trabalho é o acompanhamento de mais de 956 mil crianças de zero a seis anos e 55 mil gestantes, em mais de 30 mil comunidades, de 3.550 municípios. Essa metodologia está presente também em outros 10 países - México, Guiné Bissau, Haiti, Perú, Filipinas, Moçambique, Bolívia, Rep. Dominicana, Guatemala e Venezuela.

Em 2014, foi fundado o Museu da Vida, uma iniciativa da Pastoral da Criança para oferecer gratuitamente um espaço cultural, interativo, de encontros e de produção de saberes. Com ambientes de aprendizagem e acervo relacionados à promoção da saúde, à nutrição, à educação e à cidadania, ele retrata também a história dos mais de 30 anos da Pastoral da Criança e de sua fundadora. Localizado junto à sede da Coordenação Nacional da Pastoral da Criança, em Curitiba, as exposições contêm elementos interativos que oferecem oportunidades variadas para as crianças e suas famílias brincarem durante a visita.

Entre os muitos pontos fortes da Pastoral da Criança, está a credibilidade conquistada ao longo dos anos, tanto em relação à sociedade como um todo, quanto aos parceiros que contribuem com a missão de levar vida plena para todas as crianças. Parte disso tem a ver com o acompanhamento dos resultados conquistados nas comunidades e com a transparência na prestação de contas. Para isso, e no cumprimento das prescrições legais e estatutárias, anualmente, as demonstrações contábeis são submetidas à auditoria independente e publicadas em material de grande circulação nacional e na internet.

Por isso, neste relatório, são apresentados resultados, ações desenvolvidas, indicadores e demonstrações financeiras. Além de ser um material importante para os parceiros, também auxilia as coordenações nas tomadas de decisões e implementação de melhorias.

Em tempo, reforçamos que, para a Pastoral da Criança, a união de saberes e a multiplicação de conhecimentos é o caminho para levar vida plena a todas as crianças do mundo. Por isso, gostaríamos de aproveitar esse espaço para demonstrar nossa gratidão à todos aqueles que participaram dessa missão e o convite para continuarem firmes na missão.

Missão da Pastoral da Criança

“Para que todas as crianças tenham vida em abundância” (Cf. Jo 10, 10).

A missão da Pastoral da Criança é promover o desenvolvimento das crianças, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, do ventre materno aos seis anos, por meio de orientações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, fundamentadas na mística cristã que une fé e vida, contribuindo para que suas famílias e comunidades realizem sua própria transformação (Artigo 2 - Estatuto da Pastoral da Criança).

A missão, a visão, os valores e crenças e elementos de sucesso estão disponíveis na Wiki da Pastoral da Criança.

Administração

Situação dos principais indicadores

Esta avaliação tem o objetivo de identificar os estados e os setores do país nos quais os indicadores da Pastoral da Criança, construídos com base nas Folhas de Acompanhamento Mensal das Ações Básicas de Saúde e Educação na Comunidade (FABS), apresentam índices com variações significativas, geradas por razões que não ocorrem por mero acaso.

Após a reflexão promovida por esse estudo, é responsabilidade das coordenações da Pastoral da Criança promover a educação das famílias para a prevenção das doenças e promoção do desenvolvimento infantil. Para isso, são desenvolvidas ações de articulação interna e com os Conselhos de Políticas Públicas, para ajudar a garantir os direitos fundamentais e o bom funcionamento dos serviços públicos.

O sistema de informação da Pastoral da Criança, por meio de relatórios trimestrais, alerta os setores e ramos sobre a situação dos indicadores que estão analisados neste relatório. São enviadas mensagens educativas que parabenizam e incentivam os resultados positivos alcançados, e faz alertas em relação ao indicador ou tema que requer mais atenção por parte das respectivas coordenações e dos respectivos Conselhos.

A seguir, é apresentada a situação dos principais indicadores da Pastoral da Criança, em nível nacional, por estados e em relação aos setores. A apresentação foi dividida em 5 blocos – Gestantes, Crianças, Líderes, Comunidades e Índice de Mortalidade Infantil.

Gestante

Criança

Líderes

Comunidade

Mortalidade Infantil

Ações básicas

Indicadores Guia do Líder

Indicadores Acompanhamento Nutricional

Ações complementares

Indicadores Brinquedos e Brincadeiras

Indicadores Alimentação e Hortas Caseiras

Indicadores Articuladores de Saúde

Ações opcionais

Indicadores de Hanseníase

Outras Ações de apoio

Oficina de Formação Contínua Integrada

Núcleo de Comunicação

Formação de coordenadores

Para assumir a sua missão na Pastoral da Criança, o Coordenador de Ramo deverá ser eleito pela Assembleia formada pelos Coordenadores de Comunidade e/ou Líderes e seu mandato terá a duração de dois anos. Este novo coordenador deverá receber a capacitação em até 60 dias após a data de sua ratificação.

As capacitações de novos Coordenadores de Ramo são planejadas pelos Coordenadores de Estado, cabendo-lhes formar e manter o número de capacitadores suficientes no tema para atender a demanda. Os Coordenadores de Estado devem também acompanhar se todos os Coordenadores de Ramos foram eleitos e capacitados dentro do tempo estipulado (60 dias após a sua ratificação).

Os Coordenadores de Setor são responsáveis pelas assembleias eletivas dos Coordenadores de Ramos, devendo planejar estas assembleias e manter os cadastros dos ramos atualizados no Sistema de Informação da Pastoral da Criança.

Capacitação de Ramos e Áreas

Mandatos Ramos São Paulo

Mandatos dos Ramos São Paulo

Mandato Acre

Mandatos Ramos-Alagoas

Mandatos Ramos-Amapá

Mandatos Ramos-Amazonas

Mandatos Ramos-Bahia

Mandatos Ramos-Ceará

Mandatos Ramos DF

Mandatos Espírito Santo

Mandatos Ramos Goiás

Mandatos Ramos Maranhão

Demostrativo contábil e financeiro

Apresentações utilizadas na Assembleia Geral