Posicionamento da Pastoral da Criança

De wiki2
Revisão de 14h24min de 19 de abril de 2021 por Marianac (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Posicionamento da Pastoral da Criança em relação ao apoio e participação em Cartas Abertas e divulgação de Notas

Resolução

A Nota e a Carta Aberta são instrumentos usualmente utilizados pelas mais diversas Entidades para se posicionar a respeito de um tema que esteja em pauta no momento.

Embora tenham sua função, ambos os documentos são de comunicação coletiva, ou seja, são destinados a várias pessoas com o objetivo de informar, protestar, argumentar e/ou tornar pública a posição da Entidade em relação ao tema.

A Pastoral da Criança é favorável a discussões de assuntos que orientem e estimulem o diálogo sobre os conteúdos relacionados ao desenvolvimento infantil e a saúde de crianças e famílias e tem como princípio dialogar diretamente com os envolvidos e seus representantes legais antes de qualquer outra iniciativa, por isso, como via de regra, não apoia Cartas Abertas e/ou lança Notas antes deste diálogo.

A inspiração é o evangelho de São Mateus 18, 15-17: “Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, tu e ele a sós! Se ele te ouvir, terá ganho o teu irmão. Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, de modo que toda questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Se ele não vos der ouvido, dize-o à igreja. Se nem mesmo à igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um publicano”. Ou seja, Nota ou Carta Aberta só deve ser feita após terem falhado as três tentativas acima.

Por exemplo, no caso de falta de atendimento para as famílias da Pastoral da Criança, orienta-se: Conversar com o responsável pela Unidade de Atendimento. Conversar com o Secretário Municipal por esta Unidade. Debater no Conselho Municipal da área. Se, depois de tudo isso, a situação persistir, a Nota ou Carta Aberta podem ser consideradas.

Portanto, reiteramos que nossa posição oficial será sempre a de apresentar a posição da Pastoral da Criança aos responsáveis diretos pelo assunto em pauta e ajudar no que estiver dentro de nossa missão de levar Vida Plena para todas as famílias e crianças pobres.

Curitiba, 26 de fevereiro de 2019.

Dom Anuar Battisti Maurílio Schmitt Irmã Vera Lúcia Altoé Irmã Veneranda Alencar
Presidente Tesoureiro Secretária Coordenadora Nacional da Pastoral da Criança