Mudanças entre as edições de "Manual do Conselho Econômico Módulo I"

De wiki2
Ir para: navegação, pesquisa
(Atribuições dos Coordenadores da Pastoral da Criança)
 
Linha 141: Linha 141:
 
|-
 
|-
 
|Próxima página ->
 
|Próxima página ->
|Manual Conselho Economico Modulo II
+
|[[Manual do Conselho Econômico Módulo II|Manual Conselho Economico Modulo II]]
 
|}
 
|}

Edição atual tal como às 17h39min de 4 de junho de 2018

Módulo I

Manual do Conselho Econômico

Nossa Instituição

De acordo com seu Estatuto a Pastoral da Criança tem por objetivo o desenvolvimento integral das crianças, promovendo, em função delas, também suas famílias e comunidades, sem distinção de raça, cor, profissão, nacionalidade, sexo, credo religioso ou político, através dos seguintes programas, entre outros que sirvam a suas finalidades:

I - sobrevivência e desenvolvimento integral da criança, através de ações básicas de saúde, nutrição, educação e comunicação, sobretudo nos bolsões de miséria;

II - formação humana e cristã das famílias e líderes comunitários, agentes voluntários da Pastoral da Criança, e apoio especial às pessoas da terceira idade que participam de suas atividades;

III - promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente; redução da violência familiar e comunitária;

IV - Geração de Renda, para auto-sustentação das famílias acompanhadas; Ajuda Mútua entre elas; capacitação da mulher em economia doméstica e nos cuidados com a criança, com a família e consigo mesma;

V - alfabetização de jovens e adultos que participam da Pastoral da Criança;

VI- documentação e informação sobre a situação da criança e da família no Brasil; pesquisa nas áreas de referência programática.

Organização

A estrutura da Pastoral da Criança - Coordenação Nacional e Coordenações Estaduais, Diocesanas, Paroquiais e Comunitárias - é a mais simples e ágil possível. Relação da Pastoral da Criança com Igreja e a República Federativa do Brasil

Organograma

Onde Atuamos

A Pastoral da Criança está presente, especialmente, nas periferias das grandes cidades e nos bolsões de pobreza e miséria dos pequenos e médios municípios brasileiros, tanto no meio urbano e rural quanto em áreas indígenas. Tem como estratégia principal multiplicar o saber e a solidariedade às famílias carentes, através de líderes comunitários capacitados, que moram nas próprias comunidades ou bolsões de pobreza.

O trabalho essencial é a organização da comunidade e a capacitação dos líderes voluntários que ali vivem e assumem a tarefa de orientar e acompanhar entre 10 a 20 famílias vizinhas, em ações básicas de saúde, nutrição, educação e cidadania, para que elas se tornem sujeitos de sua própria transformação pessoal e social através da socialização de informações, ampliando os laços de solidariedade, fortalecendo a rede de voluntários que promove o autodesenvolvimento das famílias carentes.

QUEM ATENDEMOS

A Pastoral da Criança acompanha gestantes e crianças menores de 6 anos, carentes, em seu contexto familiar e comunitário. Dedica-se a ações de caráter preventivo junto às famílias e comunidades, fazendo visita domiciliar, dia da celebração da vida, reuniões de reflexão e avaliação. No capitulo referente ao sistem de informação, apresentamos um relatório referente a meta de cobertura da Pastoral da Criança em relação aos dados do município, segundo dados fornecidos pelo IBGE/2000. Tendo como público-alvo da Pastoral da Criança as crianças pobres de 0 a 6 anos e considerando como pobre as famílias que ganham até dois salários mínimos A última coluna mostra quanto falta para alcançar a meta. Quando aparece ‘meta alcançada’, nem sempre todas as crianças pobres estão sendo atendidas. O objetivo é planejar as ações com vistas a expandir a Pastoral da Criança nas áreas prioritárias, onde se encontram as crianças mais pobres.

Também é apresentado um relatório com todos os indicadores das crianças e gestantes da Pastoral da Criança.

As explicações detalhadas sobre estes dois relatórios encontram nos anexos I e II deste módulo. Também está disponível no site da Pastoral da Criança.

http://www.pastoraldacrianca.org.br

Existem outros relatórios pertinentes para análise do Conselho Econômico dos Setores da Pastoral da Criança. Estes relatórios não estão disponíveis na internet, mas são encaminhados trimestralmente para as Coordenações de Setor. São os chamados relatórios financeiros. Segue abaixo exemplo dos relatórios e suas interpretações:

O QUE FAZEMOS

Ações Básicas de Saúde

Na Visita Domiciliar o líder conhece as pessoas da casa, conhece o que a família valoriza e faz para cuidar e educar suas crianças, identifica situações de risco para a saúde da gestante e criança, percebe os problemas que estão enfrentando e procura junto com a família formas de resolver esses problemas.

Dia da celebração da vida é outra atividade importante que o líder realiza na Pastoral da Criança. Nesse dia, que acontece uma vez por mês, as crianças são pesadas, as famílias se reúnem para celebrar juntas o desenvolvimento das crianças e para se ajudar quando estão em dificuldades. O lugar escolhido para essa celebração deve ficar perto do lugar onde as famílias moram e acomodar bem as crianças e suas famílias. O Dia da Celebração da Vida é um testemunho vivo da fé cristã. Mostra a solidariedade e a participação de uma comunidade na busca dos seus direitos de cidadania. Por isso, é um dia abençoado por Deus.

Uma vez por mês, todos os líderes e o coordenador comunitário devem fazer uma Reunião para Reflexão e Avaliação na comunidade. Nessa reunião, os indicadores de acompanhamento das crianças e gestantes que estão na parte 3ª do Caderno do Líder são passados para a Folha de Acompanhamento e Avaliação Mensal das Ações Básicas de Saúde e Educação na Comunidade – FABS. Esta folha é enviada para a Coordenação Nacional para que possa ser digitada. É através dos dados desta folha de acompanhamento que a Pastoral da Criança elabora sua abrangência, sua atuação, ou seja, capta os dados necessários para as estatísticas. Estes dados retornam para as comunidades através de relatórios trimestrais.

COMO FAZEMOS

Através dos dados da FABS preenchida os líderes podem:

VER o que está acontecendo, olhando melhor a situação de todas as famílias acompanhadas;

JULGAR, pensando e estudando sobre as situações, com a ajuda da Bíblia, do Guia do Líder e de outros materiais educativos, para planejar o que pode ser feito e;

AGIR, junto com as famílias, para melhorar a vida no lugar onde moram;

AVALIAR o trabalho realizado no mês que passou;

CELEBRAR cada pequeno passo alcançado. O resultado desse trabalho precisa ser divulgado na igreja, na escola, nos conselhos municipais e em outras instituições da comunidade.

O que é um Coordenador na Pastoral da Criança

  • Estar a serviço da missão e de alguém;
  • Proporcionar um bom relacionamento entre as pessoas da equipe dos setores, permitindo um trabalho cooperativo, em equipe, com respeito e integração de esforços, aproveitando conhecimentos, experiências e potenciais de cada um;
  • Acompanhar as doações e promoções realizadas, bem como o uso do recurso.

Atribuições dos Coordenadores da Pastoral da Criança

" A autoridade sempre se constrói sobre serviço e sacrifício."

" Ouvir é a nossa oportunidade de dar atenção aos outros diretamente, dizendo-lhe o quanto valorizamos"

" Nem sempre posso controlar o que sinto a respeito de uma pessoa, mas posso controlar como me comporto em relação a esta pessoa".

A Coordenação Nacional é constituída em razão da motivação, capacitação e o acompanhamento das coordenações de estado e de setor, da reflexão dos indicadores de saúde de seus estados e setores e do bom uso dos recursos da Pastoral da Criança. Sempre estará vinculada á autoridade da Assembléia Geral e do Conselho Diretor.

Autoridade de Deus

  • “Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus.

Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação. Em verdade, as autoridades inspiram temor, não porém a quem pratica o bem, e sim a quem faz o mal! Queres não ter o que temer a autoridade? Faze o bem e terás o seu louvor. Porque ela é instrumento de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, porque não é sem razão que leva a espada: é ministro de Deus, para fazer justiça e para exercer a ira contra aquele que pratica o mal”.Romanos 13: 1-4

Sistema de Informação

A rede de informação, que reúne as coordenações da Pastoral da Criança em todo Brasil, é responsável por avaliar todas as ações. As informações sobre a situação de saúde e desenvolvimento das crianças e gestantes acompanhadas são digitadas, sistematizadas e devolvidas às comunidades, ramos, setores e estados, sob forma de indicadores apresentados no relatório trimestral, parabenizando pelas conquistas, alertando sobre os riscos e orientando sobre como melhorar as ações que não obtiveram bons resultados.

das informações que são preenchidas nas FABS pelos líderes e seguem um fluxo, conforme demonstrado a seguir:

1º passo: o líder, na visita domiciliar e no Dia da Celebração da Vida, cadastra as gestantes e as crianças menores de 6 anos no seu Caderno do Líder.

2º passo: as lideranças, na Reunião para Reflexão e Avaliação, somam os dados de todos os cadernos e preenchem uma FABS – Folha de Acompanhamento e Avaliação Mensal das Ações Básicas de Saúde e Educação na Comunidade.

3º passo: as lideranças enviam a FABS preenchida à Coordenação de Ramo. A coordenação de Ramo confere, analisa, assina e envia pelo correio a FABS para a Coordenação Nacional, em Curitiba – Paraná. Esta FABS deve ser enviada até o dia 20 de cada mês posterior ao de referência preenchida na FABS.

4º passo: quando a FABS chega pelo correio na Coordenação Nacional, os dados são digitados e analisados, se não houver erro de preenchimento ela é aceita, caso contrário é devolvida para a coordenação de setor para as devidas correções junto a coordenação de ramo. A Coordenação Nacional emite os relatórios trimestrais dos indicadores e envia às coordenações de ramo, setor, núcleo e estado.

Relatórios emitidos pelo Sistema de Informação

1) Relatório: Extrato dos Indicadores

2) Relatório: Metas e Cobertura

3) Definição das prioridades de implantação

4) Relatório: FABS digitadas

5) Lista Envio de Recursos para Setor/Estado

Objetivo: auxiliar no acompanhamento dos recursos encaminhados ao setor ou ao estado. Ajuda também a verificar o recebimento na Coordenação Nacional das

prestações de contas enviadas.

  • Como acessar:
  • clicar em Financeiro
  • lista envio de recursos para setor/estado
  • listagem
  • escolher setor
  • confirmar

7) Análise dos Gastos

Objetivo: auxiliar no acompanhamento dos gastos encaminhados pelo setor à Coordenação Nacional através das notas anexadas nas prestações de gastos.

  • Como acessar:
  • clicar em Financeiro
  • análise dos gastos
  • listagem
  • escolher setor
  • confirmar
  • marcar o tipo de prestação de contas
  • marcar o período de analise (ano/mês)
  • confirmar
<- Página anterior Manual do Conselho Econômico Apresentação
Próxima página -> Manual Conselho Economico Modulo II