Mudanças entre as edições de "Condicoes Necessarias e Suficientes coordenacoes - Zopp"

De wiki2
Ir para: navegação, pesquisa
m
(Coordenador com Perfil e Capacitado)
Linha 31: Linha 31:
  
 
= Coordenador com Perfil e Capacitado =
 
= Coordenador com Perfil e Capacitado =
''Um coordenador deve desempenhar a missão e a gestão da Pastoral da Criança mesmo que tenha algumas dificuldades, pois estas serão superadas ao formar uma equipe, que é essencial para que a caminhada seja mais alegre, leve e colaborativa. Com isso, estará desenvolvendo este perfil de coordenação e fortalecendo a caminhada de pastoral. Para desenvolver esta missão de coordenação, deve receber a capacitação no Guia do Líder, Missão e Gestão do coordenador de ramo e Missão e Gestão do coordenador de setor.''
+
''Um coordenador deve desempenhar a missão e a gestão da Pastoral da Criança mesmo que tenha algumas dificuldades, pois estas serão superadas ao formar uma equipe, que é essencial para que a caminhada seja mais alegre, leve e colaborativa. Com isso, estará desenvolvendo este perfil de coordenação e fortalecendo a caminhada de pastoral. Para desenvolver esta missão de coordenação, deve receber a capacitação no Guia do Líder, Missão e Gestão do coordenador de ramo e Missão e Gestão do coordenador de setor. Graças ao avanço da Tecnologia os coordenadores tem a facilidade de poder manter contato com as demais coordenações e líderes através do '''Aplicativo Visita Domiciliar''', que será o principal canal de comunicação entre os membros da Pastoral da Criança''
  
{[Atribuições do Coordenador de Setor]}
+
'''Buscar Pessoas'''
 +
* No método de capacitação atual, a coordenadora escolhe sua equipe para a Pré Capacitação e a mesma equipe virá participar da Formação presencial.
  
'''Buscar Pessoas'''
 
 
* Apresentar nas assembleias avaliativas o perfil e atribuições de um coordenador;
 
* Apresentar nas assembleias avaliativas o perfil e atribuições de um coordenador;
 
* Visitar as comunidades para conhecer as lideranças locais observando as pessoas mais interessadas, motivadas e que se destacam na comunidade;
 
* Visitar as comunidades para conhecer as lideranças locais observando as pessoas mais interessadas, motivadas e que se destacam na comunidade;
Linha 81: Linha 81:
 
* Estabelecer metas e ações coerentes com diagnóstico;
 
* Estabelecer metas e ações coerentes com diagnóstico;
 
* Definir plano de visitas conforme prioridades, se reunindo com as coordenações, equipes e líderes;
 
* Definir plano de visitas conforme prioridades, se reunindo com as coordenações, equipes e líderes;
* Estabelecer contatos frequentes, seja ligando, mandando mensagens pelo whatsapp, facebook, e-mails;
+
* Estabelecer contatos frequentes, seja via Aplicativo Visita Domiciliar, ligação, mensagens pelo whatsapp, facebook, e-mails;
 
* Realizar ajustes no Plano de Ação de acordo com o Diagnóstico e acompanhamento do setor;
 
* Realizar ajustes no Plano de Ação de acordo com o Diagnóstico e acompanhamento do setor;
 
* Delegar atividades para os membros da equipe e capacitadores, acompanhar a atuação destes;
 
* Delegar atividades para os membros da equipe e capacitadores, acompanhar a atuação destes;

Edição das 16h09min de 25 de março de 2019

Condições Necessárias e Suficientes para uma Boa Coordenação 

Planejamento de Projetos Orientados para Objetivos - ZOPP 

Versões para Impressão: ZOPP.doc e ZOPP.pdf

Este documento foi elaborado na Assembleia Geral de 2013 pelos coordenadores Estaduais para atender as necessidades sentidas no desenvolvimento da missão e gestão da Pastoral da Criança. As atividades listadas são experiências das coordenações e que trouxeram bons resultados, foram divididos em seis pontos que resultam na melhoria da caminhada desta pastoral.

Objetivo Geral

Proporcionar aos líderes boas condições de trabalho

(Atribuição de qualquer nível de coordenação da Pastoral da Criança)

Apoio da Igreja

A Pastoral da Criança é Igreja. Assim como todas as pastorais, necessita do constante apoio dos seus pastores. Este apoio se dá quando os Bispos e Padres conhecem a missão e a realidade local da Pastoral da Criança, colocando-se à disposição para divulgá-la, acompanhá-la e expandi-la.

  • Apresentar a missão da Pastoral da Criança às autoridades eclesiásticas: bispos, padres e diáconos.
  • Apresentar a Pastoral da Crianças nas Casas de Formação;
  • Estar em constante sintonia informando-os sobre as ações, dados e colocando-se à disposição para melhorar as ações na Diocese/Paróquia;
  • Convidar Bispo e padres para participar das atividades, reuniões e capacitações;
  • Ter um Padre assessor da Pastoral da Criança que tenha afinidade com a causa social da Igreja e que receba a capacitação Missão e Gestão do coordenador de setor;
  • Pastoral da Criança participar das atividades das Dioceses e Paróquias, inserir as suas atividades na agenda destas;
  • Bispos, Padres e outros membros da Igreja convidarem pessoas para participar da Pastoral da Criança e fazer divulgação nas missas.

{[Confira os padres referenciais indicados pelos Bispos e capacitados]}

{[Atribuições do Padre Assessor]}

Coordenador com Perfil e Capacitado

Um coordenador deve desempenhar a missão e a gestão da Pastoral da Criança mesmo que tenha algumas dificuldades, pois estas serão superadas ao formar uma equipe, que é essencial para que a caminhada seja mais alegre, leve e colaborativa. Com isso, estará desenvolvendo este perfil de coordenação e fortalecendo a caminhada de pastoral. Para desenvolver esta missão de coordenação, deve receber a capacitação no Guia do Líder, Missão e Gestão do coordenador de ramo e Missão e Gestão do coordenador de setor. Graças ao avanço da Tecnologia os coordenadores tem a facilidade de poder manter contato com as demais coordenações e líderes através do Aplicativo Visita Domiciliar, que será o principal canal de comunicação entre os membros da Pastoral da Criança

Buscar Pessoas

  • No método de capacitação atual, a coordenadora escolhe sua equipe para a Pré Capacitação e a mesma equipe virá participar da Formação presencial.
  • Apresentar nas assembleias avaliativas o perfil e atribuições de um coordenador;
  • Visitar as comunidades para conhecer as lideranças locais observando as pessoas mais interessadas, motivadas e que se destacam na comunidade;
  • Conversar com o Bispo e padres sobre possíveis candidatos tanto para coordenação de setor, quanto de ramo e comunidade;
  • Visitar outras organizações, instituições, movimentos da Igreja e outras pastorais para convidar pessoas para colaborar na Pastoral da Criança;

Avaliar as Pessoas

  • Observar se tem atitudes coerentes com a Pastoral da Criança;
  • Confirmar se tem vivência de comunidade e ouvir a opinião das pessoas próximas;
  • Conhecer pessoalmente os candidatos e conversar sobre perspectivas;
  • Saber se a pessoa realmente assume a responsabilidade de coordenador;
  • Ser agente de transformação;
  • Verificar sua disponibilidade, tempo que a pessoa poderá disponibilizar para a Pastoral da Criança (voluntário, contratado, cedido);
  • Ser capaz de trabalhar em equipe e de delegar tarefas;
  • Saber valorizar o trabalho de cada um e respeitar diferentes opiniões;
  • Apresentar os candidatos aos Bispos, Padres e religiosos para saber opiniões.

Caminhar em conjunto com os candidatos

  • Promover encontros com os candidatos para apresentar as atribuições que são de responsabilidade de um coordenador e esclarecer dúvidas;
  • Convidar os indicados para participarem das atividades, reuniões e capacitações da Pastoral da Criança, realizando um pequeno estágio para vivenciar na prática as atribuições de um coordenador. Ir delegando poucas tarefas ao candidato para familiarizar-se com as funções trabalhando assim a auto confiança;

Assumindo a coordenação

  • Dar boas vindas ao coordenador;
  • Conseguir recursos para contratação da coordenação;
  • Formar equipe com pessoas que completem o perfil (prestação de contas, sistema de informação, linguagem da igreja);
    • Quando necessário, reorganizar as Áreas e analisar as coordenações, que devem ser o braço direito da coordenação de setor;
    • Quando necessário, reorganizar os Núcleos e analisar as coordenações, que devem ser o braço direito da coordenação estadual;
  • Atrair pessoas para a missão voluntária na Pastoral da Criança;
  • Analisar necessidade de ressarcimento de despesas de serviço voluntário referente a tarefas da coordenação e se haverá recurso financeiros suficientes para isto;
  • Capacitar o candidato a coordenador no Guia do Líder e em Missão e Gestão do coordenador de ramo, caso ainda não tenha sido capacitado.

Capacitação do Coordenador

  • Garantir que tenha conteúdos sobre a mística, valores e crenças da Pastoral da Criança;
  • Correlacionar o conteúdo da Missão da Pastoral da Criança com a gestão (concretizadas nas ações básicas), com diálogo e prática;
  • Verificar se o conteúdo dos materiais e o capacitador estão atualizados;
  • Observar se o capacitador está preparado, se fala com objetividade, clareza e linguagem adequada, focado no conteúdo, sendo dinâmico, obedecendo a carga horária, número de participantes e se está respeitando o ritmo de aprendizagem de cada participante;
  • Participar dos Congressos, Assembleia e demais encontros para se manter atualizado.

Formar candidatos para sucessão

  • Preparar pessoas na equipe identificados como possíveis candidatos ( suplentes, capacitadores, coordenadores de ramos e áreas, líderes);
  • Delegar atribuições do coordenador para pessoas da equipe;

{[Atribuições do coordenador Estadual]}

Coordenação Acompanhada e com Recursos Materiais e Financeiros

A principal maneira de acompanhar a situação da Pastoral da Criança é participando junto, ou seja, visitando as coordenações e principalmente os líderes, com os relatórios do sistema de informação, com os devidos materiais educativos e um plano de ação que ajude na melhoria ou na expansão do setor/ramo.

Plano de Ação

  • Analisar os relatórios do sistema de informação: FABS, prestação de gastos, capacitadores do guia do líder atuantes, estágio de evolução das comunidades, metas e coberturas, mandato dos coordenadores e planejamento de capacitações;
  • Elaborar plano de ação de acordo com o MODELO;
  • Estabelecer metas e ações coerentes com diagnóstico;
  • Definir plano de visitas conforme prioridades, se reunindo com as coordenações, equipes e líderes;
  • Estabelecer contatos frequentes, seja via Aplicativo Visita Domiciliar, ligação, mensagens pelo whatsapp, facebook, e-mails;
  • Realizar ajustes no Plano de Ação de acordo com o Diagnóstico e acompanhamento do setor;
  • Delegar atividades para os membros da equipe e capacitadores, acompanhar a atuação destes;
  • Avaliar se os resultados estão sendo atingidos acompanhando pelo Plano de Acompanhamento e realizar ajustes;
  • Nas assembleias, ter um momento de troca de experiências para melhorar as ações da Pastoral da Criança.

Recursos Materiais e Financeiros

  • Verificar se o Conselho Econômico se faz presente na coordenação do setor de acordo com suas atribuições;
  • Auxiliar os coordenadores na elaboração dos Planejamentos de atividades onde devem solicitar recursos e garantir que cheguem antecipadamente na Coordenação Nacional;
  • Verificar se a coordenação possuem recursos para visitar os setores/ramos;
  • Incentivar o envio mensal da prestação de contas do setor e dos ramos;
  • Realizar os repasses para os ramos e incentivar que o recurso chegue nas comunidades;
  • Garantir a quantidade de material educativo necessária para o bom andamento da missão e gestão do setor;
  • Fazer o levantamento de estoque e pedido de material educativo conforme datas estabelecidas;
  • Garantir que os ramos e capacitadores tenham os materiais para desenvolverem as atividades;

Líderes Qualificados e em Quantidade Suficiente

O maior tesouro da Pastoral da Criança são os líderes. São eles que levam as importantes orientações sobre cuidados com as crianças, gestantes e suas famílias. No Brasil, ainda existem muitas crianças pobres a serem acompanhadas, e por isso é importante termos cada vez mais líderes e com qualidade para poder levar vida em abundância.

O Líder

  • Apresentar qual é o papel do líder na comunidade e suas atividades;

Líderes em quantidade

  • Primeiramente, deve-se manter a consciência de que estas ações apenas terão efeito se forem realizadas com alegria e entusiasmo, próprios de quem acredita na missão da Pastoral;
  • Realizar casa aberta para tornar a pastoral conhecida;
  • Realizar mutirões em busca de líderes;
  • Convidar nas missas junto com o apoio do Bispo e padres;
  • Visitar e fazer convite pessoal para antigos líderes voltarem para a Pastoral da Criança;
  • Encontro com a liderança da comunidade (conversar com associação de moradores para indicarem pessoas com perfil pastoral);
  • Convite às mães acompanhadas;
  • Líderes atuantes convidar pessoas conhecidas (filhos, irmãos, amigos, vizinhos, ...);
  • Apresentar para as outras pastorais da igreja buscando pessoas com perfil pastoral;
  • Na visita à comunidade o coordenador procura indicações de pessoas com perfil;
  • Apresentar para outras religiões que também podem atuar na Pastoral da Criança e serem líderes.

Capacitação com Qualidade

  • Ter equipe de capacitação atualizada e comprometida;
  • Fazer planejamento das capacitações, preparar o material e o ambiente;
  • Na equipe do ramo ter capacitadores e líderes capacitadores do Guia do Líder;
  • Esclarecer as atribuições e compromisso do capacitado antes de torná-lo à capacitador;
  • Manter atualizados os coordenadores, capacitadores e multiplicadores realizando Oficinas de Formação Contínua Integrada;
  • Acompanhar os líderes que estão sendo capacitados, respeitando o ritmo de aprendizagem, até o completo entendimento das ações;
  • Observar se a carga horária está sendo seguida, cumprida;
  • Perceber se o capacitador está se adequando às necessidades/realidade dos capacitados;
  • Adequar os horários e metodologia de capacitação à realidade da comunidade;
  • Apresentar durante a capacitação o líder ao serviço de saúde;
  • Fazer a Celebração de envio na comunidade;
  • Incentivar ao máximo que após a terceira etapa da capacitação os novos líderes já cadastrem gestantes e enviem as FABS;

Acompanhamento do Líder

  • Realizar Encontrão de Líderes para fortalecer o engajamento com a missão;
  • Promover o direito do líder de receber os materiais educativos e seu certificado;
  • Analisar com os líderes os resultados trimestrais com base no Estágio de Evolução e Número de Crianças acompanhadas;
  • Participar com o líder da Celebração da Vida, visita na comunidade e na Reunião de Reflexão e Avaliação, pelo menos uma vez ao ano;
  • Estabelecer um Canal de comunicação através de e-mail, Facebook, Whatsapp;
  • Lembrar o dia do aniversário do líder;
  • Fazer Oficina de Formação Contínua Integrada (OFCI) para os líderes, ao menos uma vez ao ano, trabalhando as dificuldades sentidas na comunidade;
    • Formação Contínua Individual;
    • Formação Contínua Coletiva;
    • Oficina de Formação Contínua Integrada

Pastoral da Criança atendendo as necessidades sentidas da comunidade

É envolver toda a comunidade para discutir sobre as necessidades que dizem respeito ao bem comum e buscar formas de como resolver os problemas.

  • Realizar Rodas de Conversa na comunidade, em um momento diferente da Celebração da Vida, utilizando os materiais formativos como a Revista, Dicas, DVD festa da vida e demais materiais, envolvendo toda a comunidade;
  • Orientar/informar as famílias para buscar ajuda e diálogo junto ao Poder Público e orientar sobre seus direitos;
  • Articulação e parceria com outras instituições, Conselhos e associações de moradores;
  • Articular com pessoas, “buscar caminhos”, ter um representante, participar das reuniões da comunidade, engajar-se nas mobilizações da comunidade, utilizar redes sociais para pedir ajuda as instâncias superiores;

Percepção positiva da Sociedade quanto ao trabalho da Pastoral da Criança

Quem não é visto, não é lembrado! A Pastoral da Criança precisa divulgar os bons resultados, as maravilhas que surgem graças ao desenvolvimento da missão para que as pessoas entendam a razão de sua existência e apoiem esta missão.

  • Manter transparência - Portal da Transparência Pastoral da Criança;
  • Divulgar nos meios de comunicação local os vídeos da Pastoral da Criança;
  • Avisar/Convidar a imprensa nos momentos importantes da Pastoral da Criança;
  • Apresentar a Casa Aberta;
  • Cadastrar Rádios para divulgar o programa viva a vida;
  • Ter um espaço no site e jornal da Diocese e paróquias;
  • Publicar suas ações no espaço das comunidades no site da Pastoral da Criança;
  • Criar uma página no Facebook para publicar ações realizadas e convites para outras atividades;
Ouça a experiência de algumas coordenações e missionários sobre os assuntos tratados neste documento.